quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Adrenalize, uma fantástica surpresa do hard nacional



O mercado da música mudou no mundo todo. É um processo irreversível. Grandes gravadoras, artistas milionários. Isso é coisa do passado. Como se tem que tirar sempre algo de bom de uma situação ruim, o que talvez seja privilegiado hoje seja o talento do artista. Algo que se fazia no fim dos anos 60, quando ainda não era algo estrelado ser músico de sucesso.

E do Brasil vem uma grata surpresa. Fazer rock nacional, cantando em português é algo difícil. Uma banda de rock de qualidade (não essas coisas que aparecem na TV), além da óbvia dificuldade de exposição na mídia ainda enfrenta um acerta aversão do público underground mais adepto ao inglês como língua universal do rock.

Sem falar que é preciso muita perícia pra casar a nossa língua com a harmonia poética que a distorção pede. Golpe de Estado fazia e faz isso muito bem.

Mas eis que, de uma propaganda de um site de rock, uma banda chamada Adrenalize disponibilizou à grande massa rockeira do país seu disco inteiro para download. Uma prática cada vez mais comum.

E olha que o que se ouve em “Adrenalize”, o disco, é algo que se classifica facilmente como viciante. Hard rock bem composto, produzido e cheio de melodias.

O trio formado por Mauricio Abecia (Bateria), Mário Ross (Guitarra/Vocal) e André Chasseraux (Baixo) concebeu em “Adrenalize” um dos melhores discos de rock nacional dos últimos anos.

O disco abre com a quebrada e direta “Na Contramão”, já evidenciando a força que os backings têm na música da banda. Nessa linha seguem “Fora do Ar” e “Só se for Agora”, com seus refrãos fortes e grudentos.

A faixa “Atriz, Modelo & Manequim” é hard rápido, com uma levada bem humarada sobre essas modelos relâmpagos de televisão. Aliás, o que permeia talvez o disco todo seja mesmo o bom humor. Que faz muita falta às vezes ao rock atual.

O lado balada do disco está muito bem representado nas faixas “Mais uma Chance” (balada densa e com um curto mas belo solo) e na maravilhosa “Páginas do Passado”.

A faixa “Já Ouvi isso Antes” conta com a participação de Roger Moreira (Ultraje), cuja levada rock and roll nos lembra sim algumas bandas dos 80.

Mas pra mim, o grande destaque do disco é “Perdendo o Controle”. A faixa, que tem até videoclip, é daquelas que entram na cabeça e não saem mais. Vocais um pouco dramáticos tranformam estrofes calmas num hard de pegada contagiante em seu refrão.

Enfim, um disco simples e genial ao mesmo tempo. Não precisa de firulas, orquestras ou viagens progressivas pra se fazer um agradável e porque não memorável disco de rock. Prova que hoje em dia que, com talento e garra, é possível criar sim algo interessante e novo, no meio de um estilo tido por muitos como estagnado.

Vida longa ao Adrenalize. Prova que o Brasil produz bandas de qualidade e absolutamente consumíveis por qualquer fã de rock, não importa qual subestilo se enquadre.


Serviço:
Adrenalize
www.adrenalize.com.br

Um comentário:

  1. oieeeeeeeeeee gatuhhh sumidu apareci lá no meu bloguitu sunidu vc tá bemm????
    esperu ki a resposra seja positiva...
    te esperu

    bjússsssssssssssssss millllllllllllll

    Lena

    ResponderExcluir